De natureza semelhante aos costumes brasileiros, a gastronomia brasileira se originou da miscigenação de culturas e povos. Os indígenas cultivavam alimentos essenciais para muitos pratos da culinária brasileira, já os portugueses trouxeram alimentos típicos da Europa – até mesmo gado e outros animais – e os escravos vindos da África adaptavam os alimentos que lhes eram dispostos ao sabor e semelhança de pratos de seu agrado e país de origem. Gradualmente a gastronomia brasileira foi ganhando suas próprias receitas.

Iguarias que acreditamos serem típicas brasileiras, em sua maioria, são releituras de receitas europeias, indígenas e africanas. Nossa gastronomia é rica em sabores, temperos, ingredientes e possui uma deliciosa variedade de pratos. A história da culinária brasileira nos apresenta cada elemento prestigiado que compõe nossos pratos típicos.

Um dos pratos símbolos da gastronomia brasileira é a feijoada, admirada por muitos brasileiros e um ícone da culinária, a receita não possui sua origem no Brasil.

Referência à miscigenação gastronômica, a feijoada narra em seu sabor a história da culinária brasileira.

A gastronomia brasileira e a Feijoada

Compreendemos anteriormente que a gastronomia brasileira é fruto da miscigenação de culturas e culinárias. Mas, por que a feijoada é um ícone da miscigenação brasileira? 

Típicos da América do Sul, o feijão-preto e a mandioca, raiz utilizada na elaboração da farinha, eram alimentos primordiais na alimentação de escravos e nobres. 

De tradição milenar, o cozido de carne com verduras era um prato típico na Europa e muito consumido pelos portugueses. Com a necessidade de adaptar as tradicionais receitas de Portugal ao uso dos ingredientes disponíveis nas terras brasileiras, os portugueses incorporaram o feijão-preto ao tradicional cozido de carne de porco. Historiadores indicam que o cozido de feijão-preto era consumido com a farinha de mandioca, com a finalidade de saciar e fortalecer os portugueses.

O sociólogo Carlos Alberto Dória afirma que a história da feijoada como proveniente da alimentação dos escravos, foi uma ação modernista para a construção de uma identidade brasileira, caracterizando o prato como típico da gastronomia brasileira. Dória também expõe sua dúvida sobre a origem da feijoada ter berço nas senzalas, pois os escravos tampouco gozavam de liberdade para desenvolvimento culinário.

Feijoada Brasileira e suas tradições

A feijoada brasileira como conhecemos hoje, teve seu primeiro registro no século XIX em jantares servidos em hotéis do Rio de Janeiro para a alta sociedade brasileira.

Considera-se que foram os chefs dos restaurantes de hotéis e pensões que introduziram o arroz branco, a couve refolgada, variedades de carnes, o torresmo e a laranja ao prato. Tais incorporações ocasionaram o renome do prato, tornando-o a reputada Feijoada Brasileira.

A feijoada foi conquistando espaço nas mesas das famílias brasileiras e em cada região do Brasil, sua receita e apresentação foram aperfeiçoadas. A tradição de consumi-la às quartas-feira e aos sábados é secular, pois eram os dias em que era servida nos restaurantes da época colonial.

Com tanta história por trás de sua receita, podemos dizer que a feijoada é um prato típico do Brasil, carregando um pouco da sociedade e da cultura brasileira em seu sabor e agradando o paladar do povo brasileiro.

Museo de la Memoria - Chile, Santiago
Fale conosco